segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Um Estado preguiçoso e hipócrita


Na semana que passou ficámos a saber, assim, sem discussão, que os circos deixarão de poder apresentar animais na sua actividade.

A portaria 1226/2009 que proíbe a actuação em circo de animais é apresentada pelo Instituto de Conservação da Natureza como um instrumento de promoção da saúde pública bem como de segurança.

De forma hipócrita, o estado refugia-se em argumentação falsa para esconder uma cedência ao pequeno lóbi da associação Animal que a pretexto da defesa dos animais, vem actuando de forma radical e fundamentalista, agredindo todos aqueles que não concordam com o que defendem.

Mas mesmo admitindo que as preocupações são a segurança e a saúde pública, então esta atitude é a total demissão do papel fiscalizador do estado e assunção da incapacidade de verificar a aplicação de regras que salvaguardem o interesse público sem utilizar a proibição que é sempre a arma dos preguçosos.

Agora foram os animais no circo, depois serão as corridas de toiros, de seguida será a caça, a pesca, os desportos hípicos, a posse de animais em casa...

É possível compatibilizar o respeito pelos animais com o respeito pela tradição, cultura e identidade nacional. Atitudes fundamentalistas revelam sempre pouca inteligência.

Já agora, gostaria de ser esclarecido sobre qual a opinião da associação Animal sobre a apresentação da águia Vitória no estádio da Luz e se a portaria também inibe o Benfica de a apresentar. Se ainda não, quando se prevê a respectiva proibição?...

Um comentário:

Agostinho Gomes disse...

O ICN devia preocupar-se em gerir COMO DEVE SER as suas áreas protegidas, dotando-as de meios técnicos e humanos suficientes ao bom desempenho das funções. Mas não, agora parece-me que até querem cobrar 200,00 € /dia a quem utiliza as zonas protegidas para fotografar. Sejam profissionais, sejam amadores como eu.

www.vrsaemfotografia.blogspot.com